Home » Inspirações » Entrevistas

Entrevista a Dani Prates – Fotógrafa de família e infantil

Dani Prates. A fotógrafa de família e infantil, que encontrou seu “olhar” de criança.

É com enorme prazer que venho apresentar este novo formato de entrevista da FOTOGRAFIA DG. Como o objetivo aqui é disseminar informações sobre o mundo da fotografia; aprendizagem, lançamentos, eventos; resolvemos também abrir um espaço bate-papo e também expor trabalho de profissionais que ainda não estão nas grandes mídias, mas que também são dotados de muito talento, criatividade, ética e profissionalismo.

Agora, ao menos uma vez por mês, estarei aqui apresentando entrevistas e trabalhos de tantos excelentes profissionais que a fotografia ganha a cada dia. Eles estarão falando um pouco da sua experiência profissional, do dia-a-dia da profissão, dando opiniões e muito mais.

A minha primeira entrevistada é a fotografa carioca Dani Prates: dona de um olhar único quando o assunto é criança e família.  Colocando a criatividade em prática, ela vive em busca do novo para adicionar em suas produções. O lema é: para cada trabalho uma idéia nova e um resultado diferente. E acredite, ela consegue.

A busca da personalização também é sua marca, ou seja, ela molda o seu trabalho nas expectativas e identidade dos seus clientes. E o melhor de tudo é que na fotografia infantil e de eventos, ela consegue se “transportar” para o mundo dos pequeninos para buscar uma visão de criança: um olhar verdadeiro, emocionante, brincalhão e espontâneo.

Viagem agora para o mundo da fotografia familiar e de criança com a fotógrafa Dani Prates.

FOTOGRAFIA DG – Como e quando a fotografia entrou na sua vida?

DANI PRATES: Aprendi a fotografar com o meu marido, ele fazia por puro hobbie. Pouco tempo depois já estava trabalhando como fotógrafa.

FOTOGRAFIA DG – Grande parte do seu trabalho é voltada para a fotografia de família (ensaios e books de gestante, infantil, família e eventos infantis). A opção por este segmento partiu de você? Como isso aconteceu?

DANI PRATES: Com certeza foi uma escolha. Quando comecei a fotografar, meus filhos foram quase que por completo responsáveis por esta escolha. São 05 crianças e a inspiração veio deles. O universo infantil e familiar era toda a nossa rotina.

FOTOGRAFIA DG – Seu trabalho é marcado por ousadia no olhar, na forma de trabalhar e principalmente pela criatividade. Podemos dizer que vive a busca constante do novo. Como se dá esse processo no seu trabalho?

DANI PRATES: Vivo em uma eterna busca pelo novo! Quando comecei o comum eram fotos em estúdio, quase não se via fotografias espontâneas, sessões externas. Queria algo que não cansasse as crianças. Hoje isso é comum, a maioria dos fotografos utilizar essa abordagem. Gosto de ousar, cada sessão é uma necessidade de criação, de inovação! Hoje é comum a busca de inspiração em colegas de profissão, porém eu prefiro outras fontes. Não que a fotografia de outros não me inspire, mas evito na medida do possível visitar blogs ou sites fotográficos quando estou no meu processo criativo. Abuso dos livros, das artes, da natureza, houve um ano que todas as minhas sessões tinham flores. Hoje por exemplo converso com os pais sobre a profissão ou características pessoais e as uso como base para as fotos.

 

FOTOGRAFIA DG – Qual a importância da busca de uma linguagem fotográfica própria no resultado do seu trabalho e na visão dos seus clientes?

DANI PRATES: Eu venho do varejo, passei anos da minha vida focada em personalização. Acho que a criação é um dos principais e melhores momentos que um fotografo viver e construir. Ter orgulho de algo seu, é único! É bacana saber que suas fotos possuem uma identidade, isso é o mais difícil e o mais prazeroso.

FOTOGRAFIA DG – Poderia falar um pouco sobre importância do fotografo social e de família na sociedade?

DANI PRATES: Um tempo atrás esse segmento era para aqueles que não tinham mercado, o fotografo de eventos era mal visto. Quase que um invasor. Hoje ele precisa se fazer íntimo, atento. Mais que apenas registrar, ele é o retratista de uma verdade única, de um olhar absoluto.  Lembranças e momentos eram no passado, descritos pela memória. Hoje o fotografo social e de família consegue registrar histórias com tamanha atenção, que conseguem descrever através da imagem a exata emoção de um momento.

 

FOTOGRAFIA DG – Falando um pouco de equipamentos, qual o set de que você atualmente utiliza. Essa escolha se deu por quais fatores?

DANI PRATES: Meu equipamento é da marca Nikon. É comum me ver com uma Nikon D50 que não largo nunca, mas no trabalho uso uma D300S. Quanto as lentes meu set é composto das fixas 35 mm, 50 mm, 85 mm, uma ou outra tele-zoom (raramente).

FOTOGRAFIA DG – O segmento de fotografia de eventos a cada dia ganha novos profissionais e interessados. Como você vê o mercado de fotografia de família e eventos diante disso? Poderia citar alguns pontos positivos e negativos dessa nova realidade?

DANI PRATES: Nossa! Tanta gente! Para a fotografia só algo positivo, sem dúvida! A fotografia digital facilitou tudo e a internet foi sua cúmplice. Antigamente você só via o álbum de casamento da sua prima ou no máximo o seu quando se casava. Hoje é possível conhecer trabalhos do mundo inteiro! E mais, o aprendizado ficou mais fácil, tutoriais, dicas, sites, blog… Todos ensinam alguma coisa, é possível fazer pesquisa de equipamentos, comparativos, dentre outros. É uma profissão que conquista, mas viver dela não é fácil. É saber que viverá em uma eterna busca onde a segurança só vai depender de você.

 

FOTOGRAFIA DG – Com a chegada dessa nova geração de profissionais e da era digital na fotografia, discute-se muito a importância do marketing para se destacar no mercado.  Buscar especialização em gestão de vendas, comunicação e administração é necessário. Você acredita que este é o caminho para formar um negócio de fotografia e um fotógrafo?

DANI PRATES: Vou me dar de exemplo. Nunca foi agressiva em marketing, uso o Blog para me comunicar com meus clientes. Uma vitrine para meu trabalho, mas é raro me ver vendendo meu “peixe”. Acredito no marketing, acho importante, mas não é o principal caminho. Tem que ser bom, não adianta Blogar, Twittar, usar o Facebook, anunciar senão tiver um bom trabalho. Um não vive sem o outro.

 

FOTOGRAFIA DG – Para toda essa nova geração qual seriam os “10 mandamentos” que você deixaria:

DANI PRATES:

  • Criatividade
  • Observação
  • Ética
  • Responsabilidade
  • Talento
  • Estudo
  • Investimento em equipamentos (no que for usar, pois não adianta ter “mil” lentes sem saber o que fará com elas)
  • Humildade
  • Caráter
  • Bom senso
  • Paciência

Teve mais de 10….

FOTOGRAFIA DG – Como é a rotina de vida de um fotógrafo de eventos e família?

DANI PRATES: Difícil, muito difícil! Não só de família, mas em qualquer que seja o segmento. Controlar a ansiedade de seus clientes.  Saber que todos os finais de semana e feriados você estará à disposição do trabalho, viagens e passeios de domingo serão cada vez mais escassos. Final de semana você estará fotografando e dia de semana você estará editando, respondendo aos emails, diagramando.  Quando você  tem um escritório fica um pouco mais fácil, mas geralmente a maioria trabalha em casa. Isso significa que ver TV, dormir cedo, ou algo do tipo você não fará mais. É quase impossível ter uma rotina de casa. Você vai olhar seus emails de 5 em 5 minutos. Passará mais horas editando do que com sua família, você deve estar perguntando, “então ser fotografo é ruim”? Não! Com tudo isso, é maravilhoso!

Gostou do trabalho da talentosa e criativa fotografa brasileira Dani Prates? Quer conhecer mais sobre o trabalho dela? Então não deixem de visitar:

SITE: www.fazendopose.com.br
BLOG:
fazendopose.com.br/blog/
TWITTER: @daniprattes

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

 

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • Parabéns Dani.
    Estamos sempre torcendo por você e sabe que tb somos suas fãs.
    Bela entrevista.

    Beijinhos,
    Cláudia Silva e Ana Ferr
    Studio C Produções – http://www.studiocproducoes.com.br

  • Sharron Clemons

    Parabéns pela iniciativa da Fotografia DG muito bom, e parabéns a Dani Prates pelo trabalho, lindos registros. A entrevista é de grande utilidade para pessoas que estão iniciando no mundo fotográfico assim como eu, estou começando a praticar alguns clics e estudando muito. Gostaria de deixar uma humilde sugestão e ao mesmo tempo um pedido, de por no rodapé das fotos apresentadas na entrevistas dados técnico como equipamento, objetiva, exposição e ISO. Isso se for permitido pelo autor da foto… Obrigado por nos contemplar com mais um ensinamento… Sucesso a todos da Fotografia DG e a Dani Prates que nos prestigiou falando um pouco do seu trabalho.

  • Quando penso em fotografia, nem penso em outra pessoa a não ser a Dani Prates. Ela já registrou diversos momentos da minha família. O trabalho dela é exímio e eu recomendo!

  • Alexandre Maia

    Sobre os "10" mandamentos, acho que os mais difíceis são:

    – Humildade: ter uma DSLR com meio mundo de amadores ainda se impressionando com o tamanho das câmeras e das lentes e não a qualidade das imagens ainda é meio complicado pra mim. Pior: às vezes tento explicar que o equipamento não é seu tamanho ou seus megapixels, mas a pessoa mal ouve e termino ficando meio preconceituoso com quem não busca informação, se gosta tanto de fotografia. Chato mesmo.

    – Paciência: cada vez mais tenho a impressão de que fotografar bem exige uma atenção especial aos detalhes na hora, o que pede paciência e não posso ficar ansioso toda hora pra captar *aquela* foto. E ter sempre em mente o que exatamente quer fazer, e fazê-lo com calma, sem "afobação" demais.

    (a propósito, poderia entrar "Calma" na lista! ;D)

    – Investimento: essa parte é mais difícil pra mim não por mim, disponho-me a investir bem, o problema é convencer pai, mãe e irmão a comprar essa ou aquela lente e explicar a necessidade. Complicado fazer isso com pessoas que podem investir bastante em material para suas profissões mais "certas" prezando por qualidade e torcem bastante o nariz quanto a me ver investir em fotografia.

    Alguma dica?

    Muito obrigado, Dani Prates, por expor um pouco da sua filosofia – é sempre um prazer ler o depoimento de um profissional por aqui.

    A propósito…

    Bruna Prado, obrigado pela entrevista e pela inauguração desta nova seção. Bom, inauguração oficial né, porque a coisa veio já de antes, hehe! =)

  • Muito obrigada Ben!! Vi seu blog, que bacana!! Estou aqui imaginando onde você vai estar quando completar 40 anos…Você vai longe desse jeito!Parabéns!

    Blog do Ben: http://benoliveira.blogspot.com/

  • Gostei das fotos da Dani Prates :)

    Achei a entrevista bastante e acho que todos deveriam acatar os 10 'mandamentos'.

    Parabéns pelo blog, os conteúdos estão show!

  • Fernanda Violante

    Obrigada Dani, quando puder dá uma olhada no email que enviei,

    parabéns mais uma vez!

  • Olá fernanda! Obrigada mesmo!!

    Bom, o diferencial no tratamento é o seguinte:

    Toda vez que você está diante de uma criança você deverá levar em consideração a idade, sexo, local da sessão, se a criança teve ou não um sono bom , temperamento, expectativas dos pais e etc.

    Por exemplo, uma festa infantil que a mãe mudou a rotina da criança, ela não renderá muito ou seja você terá pouco tempo para fazer as fotos. Se for uma criança maior de 03 anos você terá que estar preparada para correr junto dela. Se você analisar antes a criança e o comportamento dos pais o sucesso é quase garantido. Toda vez que vou fotografar faço essa analise e depois disso crio o meu roteiro. Sempre uma festa é comum o profissional e os pais irem de imediato para a mesa do bolo com a desculpa do salão vazio, da criança arrumada…Mas na maioria das vezes o resultado são fotos forçadas e comuns, a criança precisa de um tempo para se ambientar, entender que tudo aquilo foi feito para ela, nem todas estão dispostas a sorrir assim que chegam na festa. Converso com os pais e dedicamos os primeiros 30 minutos para a criança fazer o que quiser. Você pode ter um diferencial sempre que for observadora e aproveitar os momentos que acontecem a sua volta. Para ter uma idéia carrego na mochila desde equipamentos, agulhas e linhas, velas de aniversário( 40 % das mães esquecem das velas) e isqueiro, estou na frente da mesa do bolo no parabéns, quem melhor que eu para acender a vela???

  • Fernanda Violante

    Olá Dani, em primeiro lugar gostaria de dizer que suas fotos sao lindas, parabéns!

    Minha pergunta é: vc diz em um tratamento diferenciado, o que é este tratamento? Por exemplo, em uma festa infantil que a criança esta cercada de pessoas e tudo mais, como fazer? Fui fotografar a festa de uma amiga e era tão difícil chegar perto da criança, eu só consegui fazer fotos boas quando todos paravam para fazer pose, minha amiga até levou a menina nos brinquedos da casa, mas ela nao sorria! Depois disso fiquei insegura em fazer festas. Para seu conhecimento, fiz um curso de fotografia básico e meu equipamento é uma D60, tenho uma lente 18 – 55 e uma 70-300,

    Te enviei um email também, obrigada!

  • "Gostaria de perguntar a fotografa quanto tempo ela levou para ter retorno de reconhecimento e financeiro?"

    Pergunta do Marcelo Viegas

    Marcelo, comecei a fotografar meus filhos e os filhos dos meus amigos. Em um espaço de 06 meses já estava trabalhando. Aprendi a fotografar com meu marido que na época trabalhava com marketing de uma multinacional. Em um ano ele teve que sair para me ajudar e criamos a Fazendo Pose.

    O retorno profissional veio no mesmo ano, nós criamos uma abordagem no atendimento, no tratamento com os pais e crianças. Algo que encantava, pegávamos crianças difíceis e entregávamos fotos surpreendentes. Levei tudo que aprendi na minha vida no varejo (fui gerente operacional, trabalhei em bancos e franquias como Werner e Outback) e levei para a fotografia. Sou do Rio de Janeiro e em dois anos estava fazendo sessões em São Paulo, Salvador …Tudo por que tínhamos uma boa fotografia mas também uma relação incrível com as crianças que atendíamos.

    O retorno financeiro está vindo agora, devagar….risos…(digo relacionado a lucro)Mas no começo você tem que investir não só em equipamentos, mas em computadores e maquinas em geral e tudo que finalize sua fotografia. Aliás, esse é um custo permanente. Acho que posso ser até mais direta na sua pergunta, acredito que o tempo médio desses retornos leve em média de 03 a 05 anos com muito trabalho e persistência.

    Beijos!

    O retorno profissional veio no mesmo ano, nós criamos uma abordagem no atendimento, no tratamento com os pais e crianças. Algo que encantava, pegávamos crianças difíceis e entregávamos fotos surpreendentes. Levei tudo que aprendi na minha vida no varejo (fui gerente operacional, trabalhei em bancos e franquias como Werner e Outback) e levei para a fotografia. Sou do Rio de Janeiro e em dois anos estava fazendo sessões em São Paulo, Salvador …Tudo por que tínhamos uma boa fotografia mas também uma relação incrível com as crianças que atendíamos.

    O retorno financeiro está vindo agora, devagar….risos…Mas no começo você tem que investir não só em equipamentos, mas em computadores e maquinas em geral e tudo que finalize sua fotografia. Aliás, esse é um custo permanente. Acho que posso ser até mais direta na sua pergunta, acredito que o tempo médio desses retornos leve em média de 03 a 05 anos com muito trabalho e persistência.

  • Leonardo, eu vi aqui a sua dica sobre o exif das fotos, não vou colocar agora o de cada um, mas no geral é o seguinte:

    Iso 400 sempre que possível, dependendo do lugar e da luz chego a ISO 1000, não passo disso. Velocidade sempre alta, mas lembre – se que uso lentes fixas com aberturas 1.8,

    Bjs!

  • Obrigada a todos pelo carinho! Mais ainda a Bruna por seu olhar comigo!

    Trabalhar no universo infantil é o meu mundo e o que mais gosto de fazer!

  • Hoje ao acessar essa nova coluna realmente fiquei bem feliz. Não esperava outra coisa a não ser sucesso quanto a recepção do trabalho da Dani Prates pelos leitores da Fotografia DG. Afinal trata-se de uma profissional extremamente competente, criativa e verdadeira em suas opiniões e colocações.

    A idéia é mostrar o trabalho, a vida, as dificuldades e escolhas que temos quando vivemos de fotografia. Trocar essa experiência é boa para quem já está no mercado e também para quem está começando. Temos que perder o medo de falar do trabalho dos nossos colegas e é claro que a Fotografia DG apoia essa postura positiva para a fotografia.

    Parabéns Dani Prates por dividir conosco seu trabalho, informações e experiências. Parabéns aos leitores que sempre estão por aqui participando. Parabéns a Fotografia DG por disseminar tanta informação a respeito da fotografia.

    PARTICIPEM! EXPONHA O SEU MUNDO FOTOGRÁFICO aqui na Fotografia DG, envie seu histórico e imagens (máximo de 5 fotos em formato jpg, com o lado maior em 619 pixels e resolução de 72 dpi) para avaliação através do e-mail: [email protected]

  • Marcelo Viegas

    Parabéns pela entrevista! A fotógrafa descreveu de forma prática a verdadeira rotina de um profissional. Para gente que como eu que está começando, no dilema entre "mergulhar de cabeça ou só molhar o pé" foi muito interessante. Gostaria de perguntar a fotografa quanto tempo ela levou para ter retorno de reconhecimento e financeiro?

  • Janaina Lima

    Gostei bastante da entrevista da Dani Prates, e penso muito parecido com ela. Tem que ter dedicação, criatividade e sempre tentar inovar, ainda mais quando se fotografa família e crianças. Parabéns pela entrevista. ;-)

  • Leonardo

    Desculpe alguns erros…

  • Leonardo

    Parabéns pela iniciativa da Fotografia DG muito bom, e parabéns a Dani Prates pelo trabalho, lindos registros.

    A entrevista é de grande utilidade para pessoas que estão iniciando no mundo fotográfico assim como eu, estou começando a praticar alguns clics e estudando muito. Gostaria de deixar uma humilde sugestão e ao mesmo tempo um pedido, de por no rodapé das fotos apresentadas na entrevistas dados técnico como equipamento, objetiva, exposição e ISSO. Isso se for permitido pelo autor da foto…

    Obrigado por nos contemplar com mais um ensinamento…

    Sucesso a todos da Fotografia DG e a Dani Prates que nos prestigiou falando um pouco do seu trabalho.

  • Ótima entrevista… Para todos os fotógrafos, principalmente aos que estão começando como eu… Parabéns à Fotografia DG e sucesso para a Dani Prates.

  • Olá!

    Gostei da iniciativa das entrevistas! Muito legal!

    E parabéns pelo trabalho da Dani Prates. Show de bola!

    Só para acrescentar, o link do site dela não está funcionando. Está no pluras (poses). Acredito que o correto seja no singular: http://www.fazendopose.com.br/

    Abraços

    Denis

  • Sensacional!!

    Ela é demais! Sou fã de carteirinha… eterna inspiradora pra quem trabalha no universo infantil!

    Sucesso, mais e mais!!

    Bjks, Beta

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar