Home » Artigos » Dicas

Fotografar durante o Inverno 5/5 (1)

Resumindo e parafraseando alguém que conheço: O nosso país é lindo! Mas deixo a seguinte questão: Teremos nós portugueses, consciência da beleza natural do nosso próprio país?

Há uns anos atrás, aconteceu comigo um episódio caricato que ilustra bem a falta de conhecimento que existe relativamente ao nosso país, no que diz respeito à beleza natural e paisagística deste pedaço de terra à beira mar plantado. Uma amiga minha, ao ver algumas das minhas imagens de neve, exclamou: “Estiveste na Suíça! Estas fotos são lindas!” Adivinhem o ar de espanto dela quando lhe disse que aquelas fotos haviam sido tiradas, todas elas, em Portugal Continental e em particular no Parque Natural da Serra da Estrela! Fui um pouco mais longe e disse-lhe que, infelizmente, existe uma ideia generalizada e enraizada de que o Parque Natural Serra da Estrela se resume a uma ida à Torre e se possível, parar pelo caminho e brincar um pouco com a neve na companhia da família e/ou amigos. O Parque Natural Serra da Estrela é lindíssimo, ainda mais lindo fica, quando coberto de neve e na minha humilde opinião, a Torre é dos locais menos interessantes deste Parque Natural.

Na altura em que escrevo este artigo, não faltam muitos dias para a chegada do Inverno, altura em que chega também um elemento muito apreciado pela grande maioria dos fotógrafos de paisagem espalhados por esse mundo fora: a neve! Além da neve, o Inverno, também proporciona múltiplas oportunidades fotográficas enaltecidas pela carga dramática e pelo toque especial que pode dar a cada imagem. Este artigo irá servir essencialmente para dar alguns conselhos sobre a melhor forma de enfrentar os rigores do mesmo, no que à fotografia diz respeito. Tentará também ir de encontro às necessidades/dificuldades do caro leitor, e serão fornecidas algumas dicas sobre a melhor forma de fotografar neve, sem que as imagens obtidas se tornem num fracasso ou numa desilusão, na hora de chegar a casa e descarrega-las para o computador.

Existem várias regiões em Portugal continental nas quais é possível encontrar neve. No entanto, e pelo conhecimento que tenho do mesmo, irei centrar este artigo no Parque Natural Serra da Estrela.

Parque Natural Serra da Estrela – Cântaro Magro

Atitude

Fotografar em condições extremas, como as que podem ser encontradas durante o Inverno, exige uma atitude por parte do fotógrafo! Além de atitude, é preciso também ter um grande espírito de sacrifício, uma vez que é necessário estar preparado física e sobretudo mentalmente para as adversidades que o Inverno proporciona. A falta de atitude, representa não ir para o terreno fotografar, “apenas” porque está a chover, a nevar ou a fazer frio! O não ir fotografar, representa não captar aquela luz única ou aquele momento mais dramático que o Inverno pode proporcionar.

Roupa e Calçado

Falar do Inverno é falar de neve, chuva e frio. Se o fotógrafo não estiver protegido de forma adequada, pode deitar por terra todos os planos de ser bem-sucedido. Roupa quente, confortável e impermeável ajudará a que a experiência de fotografar com estas condições atmosféricas, seja muito mais gratificante, caso contrário poderá redundar em grande desilusão. Aconselhe-se em lojas de roupa para desportos de Inverno pois, por norma, estas roupas e acessórios para desportos, são também adequados para quem vai enfrentar os rigores do Inverno com uma câmara na mão. Peça auxílio em lojas da especialidade e diga exactamente o tipo de roupa e acessórios que pretende e para o que pretende, e assim ficará equipado para enfrentar de forma mais confortável os rigores do Inverno.
 

Equipamento Fotográfico – Cuidados a ter  

 

  • Um dos erros mais comuns que se costuma praticar quando se fotografa com temperaturas muito baixas, é envolver a câmara no casaco, junto ao corpo. Assim que se volta a colocar a câmara à temperatura ambiente, irá aparecer algo muito indesejado: a condensação. Deverá sempre manter a câmara à temperatura ambiente.

 

  • Fotografar no Inverno, obriga a que o equipamento muitas vezes tenha de trabalhar no limite das suas capacidades. É importante ter sempre presente, que as baterias, quando em contacto com temperaturas muito baixas, descarregam muito mais depressa. Ter baterias suplentes é fundamental! Deverá ter sempre pelo menos uma segunda bateria totalmente carregada no bolso interno do casaco, assim o calor do corpo ajuda a mantê-la protegida. Se a bateria que estiver a ser utilizada começar a dar sinais que vai ficar descarregada, deverá ser trocada pela que está no bolso. Por sua vez a que estava na câmara ao passar para o bolso, voltará a ganhar alguma energia quando em contacto com o calor do corpo.

 

  • Evite respirar para a câmara, para a objectiva ou para os filtros, uma vez que esta acção irá originar condensação na câmara, impedindo assim o fotógrafo de registar um determinado momento.

 

Expôr correctamente imagens com neve – As dicas mais comuns 

Fotografar neve, traz em muitas situações alguns dissabores a fotógrafos menos experientes. O branco da neve pode “enganar” a câmara na hora de medir a luz, originando muitas vezes imagens em que a cor da neve mais se assemelha a um cinzento, ou azul, esbatido. Ficam algumas dicas para as situações mais comuns.

  • Sempre que tiver oportunidade de fotografar neve acabada de cair, ou seja, branco puro, deverá dar pelo menos mais 2 stop´s de compensação, para poder captar todo o detalhe da neve;

 

  • Se no local onde se encontra a fotografar, a neve já não for recente, deverá fazer compensações de 1 a 1/3 de stop´s. Se for para além disso, corre o risco de as zonas de neve ficarem sobreexpostas;

 

  • Em dias solarengos, fotografar neve que esteja em zonas de sombra, deverá fazer compensações de luz iguais ou superiores a 1 stop;

 

  • Se estiver a fotografar em dias nublados, deverá fazer a medição de luz na neve e dar 2 stop´s de compensação de luz;

 

  • Em caso de dúvida com alguma das dicas acima indicada, não hesite em programar a sua câmara para fazer bracketing, não correndo assim grandes riscos;

Com a prática e com várias saídas para o terreno, de certeza que irá encontrar a forma que melhor se adequa ao seu gosto pessoal, no que respeita ao resultado final das imagens.

Outras dicas

 

  • Se vai fazer fotografia nocturna, deve ter tudo preparado. Não esqueça que o frio, as várias camadas de roupa vestida e a reduzida visibilidade, fazem com que o mais simples movimento se possa tornar num verdadeiro desafio;

 

  • Há imensos detalhes que podem ser fotografados, muitos deles devido ao facto de a neve em muitas circunstâncias não cobrir na totalidade toda a paisagem. Tenha um olhar atento e faça novas abordagens sem receio de inovar;

 

  • Subir a pontos altos, pode ajudar a criar imagens com bastante dinâmica onde é possível fotografar toda a área envolvente coberta de neve. Durante o nascer e o pôr-do-sol, é comum que os picos mais altos das montanhas fiquem iluminados com uma luz suave;

 

  • Em dias de chuva intensa, é muitas vezes comum no final do dia parar de chover, originando uma palete de cores incrível no céu que muitas vezes não demora mais que 10 a 20 minutos. Um dia de chuva não é dia de ficar em casa, pelo contrário, é dia de sair para a rua à procura da tal luz, do tal momento que pode fazer a diferença no resultado final da imagem;

 

  • Utilize filtros graduados de densidade neutra para dar mais ênfase ao céu e ainda conseguir um melhor controlo da luz;

 

  • Utilize o filtro polarizador, ajuda a saturar as cores e eliminar ou reforçar reflexos, consoante o gosto pessoal do fotógrafo;

Parque Natural Serra da Estrela – Barragem do Vale do Rossim

Os melhores locais para fotografar no P.N. serra da Estrela

Este capítulo tem como objectivo dar-lhe a conhecer alguns dos locais mais bonitos do P.N. Serra da Estrela. Com estas dicas, o caro leitor já não tem desculpa para dizer que do Parque Natural Serra da Estrela apenas conhece a Torre e pouco mais. Esta secção fica dividida em duas partes: locais de fácil acesso e locais de difícil acesso. Relembro que os locais que indico como sendo de difícil acesso, nunca deverão ser feitos sem o contacto prévio com o posto de turismo do P.N. Serra da Estrela!

Locais de fácil acesso

Covão da Ametade – Considerado por muitos como o local mais bonito do P.N. Serra da Estrela, esta pequena maravilha da natureza, fica localizado na estrada que liga as Penhas da Saúde a Manteigas. Aproveite para fotografar o nascer-do-sol;

Covão da Ponte – Saindo de Manteigas em direcção às Penhas Douradas, vá com atenção às placas. No caminho de acesso a este bonito covão, ainda é possível ver a encosta onde se encontra a bonita mata de São Lourenço.

Barragem do Vale do Rossim – Esta pequena barragem, localizada nas Penhas Douradas, é de fácil acesso, podendo ser visitada na maioria das vezes de carro. Fotograficamente, resulta muito bem ao nascer e ao pôr-do-sol;

Poço do Inferno – Uma das maiores cascatas deste Parque Natural, o Poço do Inferno, fica localizado à saída de Manteigas, no sentido das Penhas da Saúde;

Locais de difícil acesso

Lagoa do Peixão – Lagoa localizada no coração do parque natural, perto do Cântaro Gordo. Ainda que lindíssima, chegar a esta lagoa implica uma caminhada de mais ou menos 2 horas com um desnível de 200 metros. Com neve o acesso fica mais complicado ainda e é essencial contactar e pedir conselhos junto do posto de turismo do parque natural.

Lagoa dos Cântaros – Lagoa localizada no Cântaro Gordo, pode ser acedida através do Covão da Ametade. Como a Lagoa do Peixão, o seu acesso é bastante difícil e nunca deverá tomar a decisão de lá ir sem contactar previamente o posto de turismo do parque natural.

Texto e imagens por Nuno Luís, membro da equipa FOTONATURE.
www.foto-nature.com
nunoluis.net

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • jorgellemos

    Nuno Luís, blz!

    Eu me surpreendi com a dica de manter o equipamento em temperatura ambiente, vou fazer de tudo para segui-la. Particularmente costumo carregar comigo o miolo do papel higiênico, aquele de bolsa, para amenizar o abuso da água.

    Abraço,

    Jorge Lemos.

  • Nuno Luís

    Olá Sandra!

    Obrigado pelo seu feedback ao artigo!

    A variação da exposição será sempre de 0 para +1 ou +2. Relembro no entanto que no caso de não ter muita prática, o ideal será fazer várias variações, não correndo assim o risco de chegar a casa e ficar decepcionada com as suas imagens.

    Atenciosamente.

    Nuno.

  • Bom dia.

    Texto fantástico, estou numa zona onde costuma haver neve, vivo próxima da Serra de Bornes, nordeste transmontano, a 1ª vez que fotografei não tive grande sucesso, ficava o céu meu azul o ano passado já não me saí tão mal mas mesmo assim ainda não fiquei contente.

    Só uma pergunta a compensação é do 0 para positivo?

    Um abraço.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar