Você não é fotógrafo para todo mundo 5/5 (2)

Na minha estreia aqui no Fotografia DG, eu gostaria de falar sobre um assunto que é uma dúvida que paira na cabeça de todos os fotógrafos, especialmente para aqueles que estão em início de carreira.

Bom, você decidiu trabalhar como fotógrafo profissional, já definiu sua área, seu preço, a forma como irá trabalhar, seu fluxo de trabalho, etc. Aos poucos começam a surgir os clientes, você faz um trabalho aqui outro ali mas um belo dia você envia um orçamento para alguém que te responde um breve email assim: “Eu só queria umas 5 fotos, quanto você cobraria para isto?” ou “não precisa editar minhas fotos, quanto você cobra só para tirar as fotos?” ou se você é um fotógrafo que definiu que seu trabalho está sempre vinculado à impressão de um fotolivro, alguém vai te perguntar: “mas quanto é para ter as fotos só em DvD?”

shutterstock_169711943

Muitas vezes nos sentimos ofendidos ou não sabemos o que responder para estas pessoas e se você está no início da carreira, você ainda fica se perguntando: será que eu abro mão desta vez e cobro mais barato apenas para não perder o cliente?

Esta é uma decisão errada, afinal, há fotógrafos para todos os clientes e clientes para todos os tipos de fotógrafos!

Saiba que: Você não é fotógrafo para todos os clientes, eu não sou fotógrafa para todos os tipos de clientes e na verdade, ninguém é fotógrafo para todo mundo!

O seu trabalho tem um valor que você definiu mediante o seu custo de vida, seu investimento, suas horas de trabalho, os produtos que você oferece, etc.

Para este cliente, responda que você não trabalha desta forma e ponto final. Não precisa também ficar se justificando. Este cliente irá encontrar o fotógrafo certo para ele, mas não será você.

Agora, se você fica recebendo este tipo de resposta com muita frequência, então está na hora de você repensar porque estas pessoas que você considera que não são seus clientes estão entrando em contato com você.

Você deve identificar o tipo de imagem que você está passando sobre seu trabalho, o tipo de marketing que está usando, as promoções que você anda oferecendo. Claro que antes de tudo isto, você deve primeiro saber quem é o cliente certo para você. Será que você sabe identifica-lo?

Tente fazer uma simples análise: onde você está divulgando seu trabalho e quais pessoas está alcançando?

Por exemplo,  você é fotógrafo de família e resolveu deixar alguns dos seus cartões em um salão de beleza próximo a sua casa, para que as pessoas que tiverem interesse, entrem em contato com você. Mas em algum momento você já parou para pensar se estas pessoas que frequentam este local estão interessadas em fotografia? Estas pessoas tem costume de contratar um fotógrafo profissional para qualquer evento da sua vida, seja casamento, gestação, festas de aniversário, etc? O nivel social e cultural destas pessoas condizem com o seu preço e o trabalho que você anda oferecendo?

Se você não parou para pensar nisto ou não fez uma pesquisa e simplesmente saiu espalhando seu cartão de visitas para todo lado, então você realmente vai receber muitos “não-clientes” e você estará perdendo tempo e dinheiro indo atrás dos clientes errados.

Portanto, identifique que “língua” seu cliente fala, quais são suas necessidades e o que ele espera de um fotógrafo, assim você conseguirá se comunicar diretamente com ele. Tenho certeza que assim você diminuirá bastante a procura dos não-clientes a você.

Boa sorte!

Imagem shutterstock.com

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

  • Boas dicas, obrigado!

  • Sérgio L. Santos

    Olá! Concordo em parte. Não clientes também costumam pagar pelo trabalho. Acho preconceito grosseiro. Não se julga livros pela capa. Já aconteceu comigo e quando me dei conta, estava fazendo posters, book`s e fotos de família de alguém que julguei ser não cliente. E me pagaram o que pedi.

    • liviagilberti

      Olá Sérgio! Você tem todo o direito de discordar mas o que eu quis dizer com o texto não tem a ver com ter preconceito com algum cliente mas tem a ver com direcionar o seu trabalho para um público x. Se muitos clientes começam a aparecer para você mas eles não podem pagar o que você pede ou te pedem coisas bem diferentes do que você oferece, você não deve mudar o seu jeito de trabalhar para agradar alguém. Você deve definir o preço e a forma como quer trabalhar e seguir nesta linha para não perder o foco e nem a sua identidade. Foi mais neste sentido. Abraços!

  • João Marques

    Bom artigo! É preferível não fazer um trabalho do que fazer sem ser ao nosso gosto.

  • Ótimo artigo.Dicas preciosas. Parabéns.

  • Muito bom artigo. Devemos ter consciência do nosso trabalho e saber que não é só o cliente que escolhe o fotógrafo. O fotógrafo também pode escolher o cliente de forma a definir o nível de trabalho que vai oferecer. E essa escolha não precisa ser dita verbalmente. Ela se faz pelo preço. Ao receber um orçamento, o cliente já sabe o nível do fotógrafo e se é adequado às suas possibilidades financeiras.

  • ISACC T.S.

    PARA MIM VALEU AS DICAS

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar