Home » Artigos » Artigos de opinião

Flickr, de galeria pessoal a Stock Photo 3.85/5 (20)

Em maio de 2013 recebi a mensagem do Flickr informando que todos os usuários teriam direito a 1 terabyte de espaço gratuito para armazenar fotos e vídeos. Isso foi ótimo aos novos usuários e para aqueles que ainda não haviam ultrapassado a quota de 200 fotos, mas para mim e tantos outros que haviam acabado de pagar a anuidade, ficou uma sensação de ter perdido dinheiro, pois simplesmente transformaram um serviço pago em gratuito sem oferecer qualquer “plus” para quem já havia pago, a não ser a agradável condição de não ver anúncios não solicitados.

Flickr

Muito bem, o valor da anuidade paga não era tão alto e isso estava beneficiando alguns milhares de usuários, mas a sensação de ter sido lesado continuou, e também fiquei um pouco cismado, pois no mundo comercial não existe nada gratuito. Fiquei aguardando o que viria junto com o pacote para compensar esse ato de bondade do Yahoo. De início a aparência do Flickr modificou, oferecendo uma visualização das fotos de capa em tamanho ampliado, o que não chegou a agradar a todos. Mas o “melhor” ainda estava por vir.

Como dizia minha avó “quando a esmola é muita o santo desconfia”. E eis que no início de dezembro de 2014, quando vou verificar minhas fotos postadas no Flickr, percebo que existe algo de novo. Agora eu posso pedir uma ampliação de minhas fotos, pagando para o Yahoo uma “ínfima” quantia em dólares. Desconfiado de tamanha “bondade” inicio uma pesquisa no santo Google e eis que surge a resposta para aquela duvida que surgiu lá em maio de 2013. O Flickr/Yahoo havia ampliado enormemente seu acervo de fotos e agora está oferecendo aos fotógrafos ampliações das suas fotos postadas.

E não é só isso, o Flickr/Yahoo criou o pomposo nome de Wall Art (Arte de Parede), e começou a realizar publicidades chamativas como por exemplo: “Mais de 50 milhões das mais lindas fotos do Flickr agora em sua parede” (vide link do blog oficial – em inglês – no final do artigo). Trata-se de um serviço para a venda de impressões utilizando as fotos do Flickr. A página não explica muito bem, mas tudo indica que você deve realizar um cadastro, aguardar o contato da equipe e ter suas fotos aprovadas para participar desse projeto.

Existe também um boato, e como tal não confirmado, de que as fotos que estejam postadas como Creative Commons (irei escrever sobre o Creative Commons e suas diversas modalidades em um próximo artigo) e com permissão para venda no Wall Art seriam ampliadas sem que o seu autor receba nada em troca.

Creative Commons

Portanto, caro leitor fotógrafo, seja você profissional ou amador, fique esperto. Saiba que se as suas fotos foram postadas com a permissão do Creative Commons elas poderão estar enfeitando a parede de alguém ou de alguma empresa sem que você receba nada por isso. E mais, a simples licença no Creative Commons, em qualquer de suas modalidades, obviamente não contempla, em seu bojo de permissões, o Direito à Imagem, portanto mesmo que a obra não possua uso comercial não é permitido que sejam ampliadas e expostas fotos em que apareçam pessoas ou obras sem o devido consentimento. Assim sendo, o ônus de um eventual processo por Direito de Imagem será do autor e não do Yahoo. Dificilmente ele será chamado ao processo como solidário, o que para o autor do processo de Direito à imagem poderia até ser bom.

A principio, no âmbito legal o Flickr não estará fazendo nada de errado, pois receberá pela prestação do serviço de ampliação para uma imagem de livre utilização, lembrando que o crédito sempre deverá ser atribuído para qualquer das seis modalidades de licença do Creative Commons.

E mais, o outro projeto em curto prazo do Flickr/Yahoo é criar um Stock Photo para venda comercial aos moldes dos outros grandes do mercado. Não sei como farão, pois isso tem uma série de exigências que procurei, mas ainda não existe nada nas páginas do Flickr a esse respeito. Só nos resta ficarmos atentos e aguardar as próximas cartadas do Flickr/Yahoo.

Caso tenha suas fotos postadas no Flickr ou pretenda postar, e não queira sua foto exposta em algum local sem o seu consentimento eu aconselho seis passos, que também valem para qualquer postagem na rede:

  1. Jamais poste uma foto em redes sociais e afins com um tamanho superior a 72 pixels. Para ver na tela do computador não precisa mais do que isso.
  2. Sempre insira o seu nome ou marca d’água em todas as fotos que forem para a rede.
  3. Ao postar no Flickr ou qualquer outra rede ou site, (a não ser que seja sua intenção ver sua foto enfeitando paredes, canecas, camisetas, livros, sites, etc. sem que você ganhe nada com isso) nunca poste escolhendo qualquer modalidade do Creative Commons. Lembrando que o crédito é sempre obrigatório.
  4. Escolha preferencialmente a opção “Todos os Direitos Reservados”.
  5. Não dê permissão para download de suas fotos.
  6. Insira sempre o exif constando seu nome e dados pessoais. Utilize o Photoshop, o Lightroom ou programas semelhantes, assim a sua foto já subirá para o sistema com os dados inseridos.

Enfim, o Flickr continua sendo muito prático e um bom local para expor suas fotos a prováveis clientes e/ou amigos, mas fique atento aos detalhes acima mencionados.  Para venda existem diversos sites de Stock, todos se protegem bastante quando o assunto é o Direito Autoral e o Direito de Imagem. O que acaba sendo bom para ambas as partes.

Obs.: A intenção do artigo não é me posicionar contrario a postagens sob licença Creative Commons, pelo contrário, considero que seja um tipo de licenciamento de âmbito mundial que muito tem auxiliado na divulgação e aprimoramento de novas ideias, principalmente no campo da tecnologia. No entanto quem faz uso da mesma deve conhecer suas aplicações e implicações.

http://blog.flickr.net/en/2014/11/26/a-closer-look-at-flickrs-curated-wall-art-collections/

 

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • lucas

    Vi este vídeo no youtube sobre fotos e achei muito engraçado hahaha https://www.youtube.com/watch?v=TirDmoAd9BM

  • Antonio Carlos

    Excelentes considerações. Obrigado por nos avisar. Sou um desatento. Vou passar a colocar marcas d'água e reduzir o tamanho, além do que já faço.

  • Ainda falando sobre as redes de compartilhamento de imagens, tenho conta no flickr e no 500px e no dia dia percebo a diferença entre um e outro, no sentido da experiência em si, sem levar em consideração o fato de tanto um ou outro serem "stock" ou não. No flickr tenho a percepção ( pode ser só minha ) de que existe mais troca, feedback, e essa troca é mais intensa e verdadeira. No 500 é mais aquele lance de momento, os 3 segundos de fama, onde diversas pessoas curtem e segundos depois esquecem por verem outra foto e outra e outra…

    Me parece que no flickr existe mais fidelidade de seguidores e seguidor, enquanto que no 500 há mais superficialidade.

    • Também percebo isso.

    • Olá Raphael. Obrigado pelo comentário.

      Sim, ao menos aqui no Brasil me parece que é assim.

  • Em 2006 viajei pela Europa e postei 3500 fotos no flick. Em 2013 (não estou certo desta data) recebi uma mensagem do yahoo, que as fotos depois da número 200 seriam bloqueadas. E foi o que aconteceu. Tive minhas fotos sequestradas pelo yahoo. Depois com a liberação informada acima as minhas fotos foram liberadas.
    Por isso, não confiem nos sites, principalmente o yahoo.
    Conheço também o caso de um amigo que colocou seus arquivos em uma nuvem e perderam tudo.

    • Na verdade não acontecia um bloqueio das fotos, o que ocorria é que as contas gratuitas suportavam apenas 200 fotos e as excedentes ficavam numa espécie de “limbo”. Caso você apagasse uma das fotos, automaticamente uma das que estavam no limbo “subiam” para a sua página. Se no e-mail do Yahoo havia a palavra bloqueadas então ela foi usada de forma incorreta. O que não isenta o Yahoo de uma prática um tanto incômoda aos usuários.

    • Olá Julio. Bom dia.

      Obrigado por seu comentário.

      Pois é, no mundo virtual de nossos dias não podemos confiar em um unico local para armazenar nossos arquivos. Parafraseando o ditado popular, "um é nada, dois é quase bom, três ou mais é perfeito".

      Abraços.

  • Sias

    Tenho um bocado de fotos lá…. Muito poucas públicas… Mas já tinha começado a reduzir a resolução mais pra poupar espaço.

    • Olá Sias. Bom dia.

      Obrigado pelo comentário.

      Forte abraço.

  • Alan

    Eu tenho uma conta desde 2011 eu costumava subir minhas fotos com baixa resolução 640 no máximo,e Sempre colocando todos os direitos a mim..Agora quando eles aumentaram a capacidade eu comecei a usar como backup,subi as fotos originais e coloquei restrito somente a mim.Será que fiz certo ?

    • Olá Alan. Bom dia.

      Com certeza não é aconselhável utilizar o Flickr como backup, por todas as razões ditas no artigo. Existem muitos locais nas nuvens da internet próprios para armazenamento de arquivos, mas não os tenha como único local. Guarde seus arquivos mais importantes também em um HD externo.

      Abraços.

  • Acredito que o Flickr deve seguir o mesmo caminho de sites como o 500px: uma mistura de galeria pessoal e stock photo. Com seu enorme acervo de imagens (mais de 10 bilhões) e grande visibilidade em sites de busca, o Flickr poderia ser um dos grandes do mercado. Ao mesmo tempo acho que o site está perdendo o bonde ou "timing" da coisa, pois já faz mais de um ano que anunciou discretamente seu "MarketPlace" e depois disse não trouxe nenhuma novidade de como a coisa funcionaria na prática. Na época do anúncio fiquei empolgado e até escrevi um artigo em meu blog sobre o assunto ( http://www.leandrobermudes.com/2014/07/flickr-lan… ). Depois disso veio o tal do Wall Art e a polêmica das "Creative Commons" e o negócio pelo jeito não engrenou…
    Ainda sou muito fã do Flickr, mas muitas vezes me vejo flertando com outros sites de compartilhamento de fotos que aprenderam a evoluir mais rápido com as mudanças na web e necessidades de seus usuários.
    É esperar para ver o que acontece…

    • Olá Leandro. Obrigado pelo comentário.

      Li e gostei de seu artigo.

      É por aí mesmo. Não adianta ir contra a maré, temos que continuar nadando para sobreviver.

      Abraços.

  • Érico, legal o texto, infelizmente o mundo está cheio de pessoas mal intencionadas e é sempre bom se proteger.

    Só destaco que a parte do texto aonde vc menciona que o ideal é subir fotos de 72 DPI é uma regra subjetiva, pois isso é só um parâmetro e se a pessoa salvar/exportar a imagem em 72 DPI mas manter o tamanho em pixels conforme o fine gerado pela câmera a foto ainda estará em alta. Então falando mais facilmente o que precisamos é realmente reduzir o número de pixels da imagem consideravelmente para que a mesma fique pequena, certo?

    Ainda que a bem da verdade, as minhas, as suas e qualquer outra foto que navega na internet pode nesse momento estar realmente pendurada na parede de alguém e provavelmente nunca saberemos, pois isso é algo que não podemos evitar "totalmente".

    • Olá Raphael. Boa tarde.

      Obrigado pelo comentário

      Sim, como muitas outras coisas na fotografia e nas artes em geral a regra dos 72 pixels é subjetiva, pois quem estiver mal intencionado vai copiar de qualquer forma. Eu mesmo subo fotos para agências de fotojornalismo em 72 DPis e maior aresta em 3000 pixels, e dessa forma é uma imagem grande com uma boa resolução para publicação em jornais e revistas. Mas convenhamos….para que postar no Flickr ou qualquer outra rede uma foto muito pequena com qualidade de imagem sofrível ou com uma logomarca que tome todo o espaço da foto.

      Concordo plenamente com você, uma vez na internet a foto corre o risco de ir para qualquer outra mídia. Só nos cabe dificultar um pouco e correr atrás de nossos direitos quando o uso for muito descarado, a foto estiver com outro crédito e/ou o stress jurídico compensar. Mas isso é assunto para outro artigo.

      Forte abraço.

      • Ooopsss…..no primeiro parágrafo leia-se 72 DPIs e não pixels.

  • Lourdes Marques

    Bom Dia,
    Eu postei fotos no flikr e há um ano não visito o site porque não consigo sempre dá erro.
    Já usei todas as alternativas, já morri nessa.
    Grata,

    • Olá Lourdes. Boa tarde.

      Entre em contato com eles e informe o que está ocorrendo. Normalmente a reclamação para conseguir acesso funciona.

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar