Home » Artigos » Artigos de opinião

Vale a pena pagar por um curso de fotografia? 4.52/5 (44)

Hoje é a estreia da minha coluna aqui no Fotografia DG, e sinto-me privilegiado em poder escrever sobre o tema que mais amo: FOTOGRAFIA. Mensalmente, ou quinzenalmente, teremos novos posts e assuntos para dividir – e aprender – com vocês.

Antes de entrar no assunto dessa primeira coluna, quero contar rapidamente, quem sou.

Tenho 37 anos, sou Profissional de Marketing e Comunicação, com mais de 23 anos de carreira, formado em Publicidade e Comunicação pela UNIP em Campinas, com cursos de extensão pela ESPM São Paulo e pela Berlin School of Creative Leadership, além de Fotografia pela renomada Panamericana Escola de Arte e Design. Essa última oficialmente formada em Dezembro desse ano.

Durante minha carreira profissional integrei o time de grandes multinacionais e gigantes do mercado de comunicação brasileiro.

Sempre atuei diretamente em minha área de formação, planejando, criando, executando campanhas e projetos, para inúmeros clientes, entre eles: Boticário, Mizuno, GE, Nike, Fiat, Natura, Heineken, Skol, Reckitt Benckiser, e muitos outros, além das empresas que trabalhou como Robert Bosch, KSPA, TV Cultura e Globosat. Essa experiência me levou a desenvolver grande capacidade técnica e mercadológica, além de um crítico olhar artístico, por conta dos meios onde atuei.

Das voltas que a vida dá, me levou a postegar durante muito tempo o sonho de fazer meu plano “B” – a fotografia, que era um hobby – se transformar em meu plano A, ou seja, ter o trabalho e olhar fotográfico levados a sério.

Somente nos últimos 04 anos, iniciei a valer a ideia de me tornar fotografo, e é isso que me levou a ser o primeiro post da minha coluna.

Afinal, vale a pena entrar em um curso de formação de fotografia? Seja ele reconhecido pelo MEC ou não.

A resposta é um estrondoso DEPENDE!

Nos últimos anos tenho visto uma crescente negatividade sobre de se matricular em cursos de fotografia, caros, longos e que lhe dão tempo apenas para aprender o “básico”. Ainda que haja um pouco de assertividade em alguns argumentos, eu posso afirmar (por mim, lembre-se que essa coluna reflete apenas a minha opinião e não a desse blog) que eu sou extremamente feliz e satisfeito em ter (ou estar terminando) o curso de FORMAÇÃO EM FOTOGRAFIA da ESCOLA PANAMERICANA DE ARTE E DESIGN. (Acredite, este não é um publieditorial. Quem dera!)

Vamos ao que interessa:

Não existe atalho, nem uma receita de bolo

Só existe uma fórmula: Trabalho duro, perseverança e talento. (Será?) De fato, trabalho duro e perseverança, contam mas talento é o que te leva além sem dúvida alguma. Talento não se aprende, você o desenvolve, e isso leva tempo. Bem, a menos que você nasça um gênio!

Aprender os macetes, e técnicas não é o mais complicado (ainda que você vá confundir no começo que o número f/22 é menor do que o f/2.8 quando se trata de profundidade de campo), mas desenvolver um olhar – e repertório – é crucial para um bom fotógrafo.

Hoje com a tecnologia, podemos dizer que tirar uma boa fotografia é tão fácil que até a minha avó, ou a sua, conseguiria simplesmente pegar seu smartphone mirá-lo para um por do sol lindo, clicar, jogar um filtro e postar em uma rede social, e BOOOMMM, 5000 CURTIDAS e COMENTÁRIOS. UAU!

Mas você com certeza sabe que “apenas isso” não lhe classifica como fotógrafo certo? Da mesma maneira que eu, que cozinho bem, não sou um Chef. Sou apenas alguém que cozinha bem.

Tão pouco espere um grande glamour, festas caras, champanhes, vinhos, ricos, famosos e capas de revista, durante toda a sua existência como fotógrafo. Bom, há menos que você já seja um cara consagrado no mercado, como por exemplo o Bob Wolfenson e companhia limitada.

Meu amigo, você vai ter que comer muito arroz com feijão para chegar lá, e não duvido que você consiga (porque eu também não duvido de mim) e que brilhe muito, mas lembre-se humildade, e gratidão contam muito. Seguir seus instintos e também respeitar a todos conta para caceta.

Você não precisa investir 50 mil reais em cursos e equipamentos

Cara, o curso da Panamericana não é barato, confesso. É para todo mundo? Vale a pena?

PARA MIM, foi um puta de um curso. Completo. Com professores e estrutura de dar inveja à muitos outros colégios. Enfim, vai do que você quer (e pode investir) para a sua vida, certo? Escolhas são isso.

Eu, por exemplo, já fotografava há alguns anos por hobby e já havia realizado alguns trabalhos para alguns clientes em 2016, graças à alguns contatos e oportunidades que agarrei (sabendo fazer bem ou não) quando passaram à minha porta e apesar de já ter essa experiência – e também em softwares imprescindíveis em nosso negócio como Photoshop e Lightroom – eu sabia que eu ainda tinha muito o que aperfeiçoar.

O curso da PAN fez isso por mim, me deu uma bela reciclada em equipamentos, e sua utilização, ajudou a melhorar meu fluxo de trabalho e jogou muita luz (com o perdão do trocadilho) em meu processo de projetos autorais e qualidade de minhas imagens.

Na PAN, você sai fotógrafo com uma bela bagagem. Lá não é um curso reconhecido pelo MEC, é um curso de formação LIVRE, e estou muito feliz com o que tive de reciclagem e novos aprendizados com meus professores e o melhor, com meus colegas de sala. Isso é primoroso. Essa troca com pessoas é fantástica.

Existem cursos e ótimas escolas que podem lhe dar uma base sensacional de técnica fotográfica em 03 meses. Em 03 meses você aprende, praticamente tudo o que você precisa saber para dominar sua câmera, e quem sabe até um flash nesse meio tempo. Ou seja, uma bela base para você, se a sua proposta é começar a fotografar festas infantis, ou algo mais leve.

Quanto aos equipamentos, por favor, ESQUEÇA de querer comprar aquela mega câmera ultima geração que saiu, com 120 megapixel, se você não vai usar nem 1/3 da capacidade dela. Você vai jogar dinheiro fora, e se frustar com tamanha opções que você não vai conseguir explorar.

É preferível um fotógrafo que faz chover com uma câmera “básica”, do que um outro que tem um equipamento de última geração e faz fotos fora de foco, e sem qualidade, certo?

Agora se você não tem dinheiro para investir em um curso muito caro, nem médio e quer pegar todo seu investimento e jogar em uma puta câmera, faça isso, MAS ESTUDE. Existem MILHÕES de horas aulas grátis em diversas plataformas e redes sociais FREE OF CHARGE!!

Tem um frase do Cortella, que gosto muito que é: “Faça o teu melhor na condição que você tem, enquanto você não tem condições de fazer melhor ainda.”

Bem, você pegou o espírito da coisa, né?

Fatores a considerar

Existem bons fotógrafos que nunca passaram um dia sequer em um curso de fotografia, e outros que tem MBA em fotografia e são excelentes mestres na arte.

Meu ponto não é que a escola não seja necessária para o seu sucesso, mas ela não pode ser considerada uma perda de tempo que apenas te mantém preso dentro de uma realidade específica. Olhe para os cursos e escolas (de diferente tamanhos) como fazem em qualquer outro negócio, como um investimento, e veja se isso faz sentido PARA VOCÊ!

Fotografia é muito mais do que aprender técnicas ou ser um artista visual. Muitas pessoas são mestres em uma parte e esquecem da outra. Quantos fotógrafos você conhece que são criativos brilhantes, mas que não sabem iluminar corretamente um fundo, e vivem apenas do arroz com feijão, e outros que são criadores de imagens incrivelmente técnicas, mas que na verdade não tem nenhuma imagem que o definem como artista?

Como fotógrafos, seja se vamos ou não para escolas e/ou cursos, temos que constantemente nos esforçar em melhorar não só nossa visão artística, mas nossa técnica. Nós nos apoiamos em muitas gerações que vieram e batalharam muito para que estivéssemos aqui hoje.

A pessoa que dominar as duas frentes, certamente será aquela que será vista e procurada para trabalhos. Hoje não podemos ser incompletos com artistas. Ainda que não saibamos tudo, temos que sempre nos aprimorar. Estando na escola ou não, nós temos que constantemente nos esforçar e nos permitirmos nos colocar em situações que nos farão melhorar nas duas frentes.

Somente você sabe exatamente onde você quer estar. Confie na sua intuição e não somente na opinião (ou experiência) de outros fotógrafos, porque você certamente acabará perdendo um grande tempo tentando ser “ELES”, quando na verdade você deve ser você!

Clique muito, e boa luz!

Agora que leu, avalie o artigo e deixe um comentário mais abaixo:

Gosta de algum dos artigos abaixo?

  • Elaine Nucci

    Parabens Dani! Muito bom te-lo como parceiro nas aulas da Panamericana! Desejo muito sucesso nesta jornada e na realizacao de seu sonho! Saude!!! :)

  • Dani, parabéns pelo artigo! É um prazer estar com você nas aulas da Panamericana e ainda aprender mais com as suas dicas. Você está sempre disponível e nunca se recusou a compartilhar informações e experiências. Muito obrigada e mais sucesso meu amigo! Vamos em frente que o caminho é longo! Grande abraço.

  • JOSE CARLOS

    Bom começo Daniel Chicote. Gostei de suas dicas. Sucesso em sua participação aqui no blog.

  • Antonio José de Sousa

    Daniel, seja bem vindo a Fotografia DG

  • Sergio Alvarim

    Sensacional Daniel…quando usou a frase do Cortella já vi que pensamos muito parecido, pelo menos no assunto fotografia..

    Parabens, estreou muito bem!

    Sergio Alvarim

  • Joaquim Carvalho

    Óptimo texto, mais uma vez concluímos que no mundo da fotografia a oferta é tão vasta em equipamentos e formação que deveremos escolher com calma, reunindo o máximo de informação e ouvindo a opinião de alguém mais experiente.

    • Olá Joaquim, é exatamente isso que você disse. A oferta é gigante, tanto em equipamentos quanto em formação.
      Temos um mundo vasto de informação, na qual escutar a voz da experiência é sempre bom, mas é o que eu disse, a decisão final é sempre “nossa/sua”.
      Abraços

Abrir Chat
1
Close chat
Olá! Obrigado por nos visitar. Por favor, pressione o botão Iniciar para conversar com o nosso suporte :)

Iniciar